Como o chocolate impacta na saúde?

Criado pelos povos pré-colombianos, o chocolate é um doce muito consumido no mundo todo!

Independentemente de ser homem, mulher, criança ou idoso, o chocolate é um alimento que dá água na boca só de falar. E apesar de não existirem muitas pesquisas acerca do seu consumo ao redor do globo, alguns dados foram disponibilizados sobre o assunto pela Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab).

Atualmente, o ranking dos maiores países consumidores de chocolate está assim:

  1. Suíça (8,5kg ao ano);
  2. Áustria (8,2kg ao ano);
  3. Alemanha (7,9kg ao ano).

Mas por que será que o produto é tão consumido assim? Bom, além de ser muito gostoso, ele também traz alguns benefícios para a nossa saúde 一 quando se come na quantidade certa, é claro.

No texto de hoje, você vai conferir algumas questões sobre a relação do chocolate com a saúde humana. Então, vamos lá!

O início de tudo

Como muitos sabem, a matéria-prima principal do chocolate é o cacau, fruto originário da bacia do rio Amazonas e que foi dispersado para as áreas tropicais da América Central.

Bastante presente na cultura Maia e Asteca, os primeiros registros que se têm sobre o consumo do cacau é a partir de uma bebida sofisticada que esses povos faziam, a qual funcionava como uma oferenda dos deuses para os homens. Logo, uma bebida dos deuses (literalmente).

De acordo com a ICCO (Organização Internacional do Cacau), os maiores produtores de cacau do mundo são a Costa do Marfim e Gana, países que representam 60% da produção mundial. Aqui no Brasil, o estado com a maior produção é a Bahia, atingindo 98% das exportações do país.

Tal qual outros frutos existentes, o cacau também possui alguns nutrientes essenciais para o nosso organismo. São eles:

  • Magnésio;
  • Antioxidantes, como os flavonoides;
  • Ferro;
  • Cobre;
  • Vitaminas A, B1, B2, B3 e C;
  • Manganês.

No entanto, a dúvida que fica é a seguinte: será que essas substâncias permanecem após a produção de seu derivado mais comum?

A composição do chocolate

Ainda que o chocolate tenha como base o cacau, o produto não é composto somente por ele. Na realidade, ele é uma mistura de açúcar e da massa, do licor e da manteiga de cacau, e a quantidade de cada um desses ingredientes irá definir o tipo final do chocolate.

Para entender um pouco mais sobre essa questão dos tipos, acompanhe a explicação abaixo:

Chocolate amargo

Por possuir maior concentração de cacau (normalmente 70%), o chocolate amargo é produzido com pouco açúcar e, por isso, traz mais benefícios à saúde.

Chocolate meio amargo

Assim como no caso do amargo, o chocolate meio amargo também possui uma alta porcentagem de cacau em sua composição (próxima de 50%) e pouco açúcar, o que acarreta em seu gosto não tão acentuado.

Chocolate ao leite

No chocolate ao leite, uma parte da massa do cacau é substituída por leite em pó. Por conta disso, sua consistência é bem mais cremosa e doce.

Chocolate branco

Considerado por alguns como um “não chocolate”, o chocolate branco é feito apenas com a manteiga de cacau, além de açúcar, leite e lecitina. Por não contar com a massa do cacau, item que dá a coloração mais escura ao produto, o chocolate branco não possui antioxidantes e é o mais calórico de todos os tipos.

Chocolate x Saúde

Agora que você já conhece os tipos de chocolate, bem como o que compõe cada um deles, chegou a hora da verdade: afinal, quando o chocolate é benéfico para o corpo?

Segundo especialistas da área de nutrição, quando ingerido em excesso, o chocolate pode trazer malefícios para a pessoa, visto que ele contém uma quantidade considerável de açúcar e gordura.

Da mesma maneira que qualquer outro alimento existente, consumir chocolate em grande quantidade pode causar algum tipo de repulsa por parte do nosso corpo, como através de problemas digestivos. Diante disso, recomenda-se que o chocolate seja consumido em porções pequenas (cerca de 25g por dia para indivíduos adultos).

Por conta de sua quantidade de gordura, o chocolate é um alimento que proporciona energia ao organismo humano. Por isso, o ideal é que ele seja consumido no café da manhã ou, no máximo, logo após o almoço, justamente para que haja tempo dessa energia ser gasta.

Aliás, caso você não saiba, uma pesquisa feita pela Federação das Sociedades Americanas de Biologia Experimental teve seus dados divulgados recentemente: 19 mulheres na pós-menopausa consumiram 100g de chocolate ao leite no café da manhã ou uma hora antes de dormir. O resultado? Pela manhã, o produto ajudou na queima de gordura e, à noite, reduziu os níveis de glicose no sangue.

Interessante, não? Só lembre-se de que a amostra para esse estudo foi pequena 一 mas, mesmo assim, as informações são ótimas para quem gosta de um bom chocolatinho, mas não abre mão de ser saudável.

Pegando carona nessa grande descoberta, listamos a seguir uma série de benefícios que o chocolate pode trazer à saúde humana:

  • Melhora a saúde do coração, devido aos flavonoides;
  • Estimula o sistema nervoso central e os músculos cardíacos;
  • Diminui a pressão arterial;
  • Aumenta o colesterol bom e diminui o colesterol ruim;
  • Melhora a função cerebral;
  • Aumenta a sensação de bem-estar, pois libera a serotonina, hormônio ligado a esse sentimento;
  • Diminui a fome.

Uma grande vantagem de ser um bom apreciador de chocolate é que você pode encontrar o produto em diversas versões. Aqui na Doce Beijo, por exemplo, você tem disponível os já tradicionais chocolates ao leite, branco ou amargo, mas também há aqueles com licor de cereja ou trufas de tudo que é sabor. Ah, e para o friozinho, temos um delicioso fondue de chocolate também.

Como já diz o ditado: é de comer rezando! E para conhecer os nossos produtos, basta acessar o nosso site: www.docebeijo.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *